22/04/2010 date_img 6h31

Cinema e Políticas de Estado: da Embrafilme à Ancine

livro-1

Neste livro, observamos como ocorreu a institucionalização da política cinematográfica brasileira, ocorrida entre 1990 e 2002. Partindo dos primeiros anos da década de 1990, a autora analisa o Cinema da Retomada.

Com levantamento de dados de fontes oficiais e fontes primárias, dos discursos elaborados pelos agentes do meio cinematográfico e da documentação oficial, o trabalho parte da análise do desmonte das políticas culturais, do enterro da Embrafilme e da perda dos mecanismos de proteção frente ao cinema estrangeiro, para mostrar como o cinema no Brasil se reestruturou e que alternativas de sobrevivência se apresentam para os cineastas no país.

Cinema e audiovisual nacionais, globais, co-produzidos, quais, onde e para quem? Harmonizar políticas por meio de costuras sistêmicas é tarefa urgente, visto a necessidade de se estruturar efetivamente um setor autônomo e auto-financiável.

A pesquisa que gerou este livro foi premiada na categoria Gestão Cultural do Prêmio Rumos do Itaú Cultural no ano de 2007. “Cinema e Políticas de Estado” integra a coleção “A Indústria Cinematográfica e Audiovisual Brasileira”, coordenada por Alessandra Meleiro.

Sumário

Introdução: Anita Simis

I. Preparando o terreno do Cinema da Retomada (1990 – 1994)

1. O fim de mais um ciclo
2. O cinema brasileiro pode ser autossustentável?
3. A idade das trevas: o cinema brasileiro morreu?
4. Uma nova esperança: Rouanet
5. Longe do Estado, entre estados e municípios
6. Depois de Collor, o resgate do cinema nacional

II. A fase de euforia (1995 – 1998)

1. A nova política cinematográfi ca mostra seus primeiros frutos
2. Cinema é um bom negócio. Começam as superproduções e o campo cinematográfico se divide
3. Uma indústria audiovisual?
4. O cinema da diversidade
5. Prenúncio de uma crise: a euforia da Retomada chega ao fim

III. A crise e a repolitização do cinema brasileiro (1999 – 2002)

1. Chatô (Guilherme Fontes) e a crise da Retomada
2. A volta do discurso político
3. Por uma política cinematográfica mais abrangente
4. Repolitização e televisão na cinematografia do período 163

Leia a introdução de “Cinema e Políticas de Estado”

Saiba mais sobre a coleção “Indústria Cinematográfica e Audiovisual Brasileira”

SERVIÇO
Título: Cinema e Políticas de Estado: da Embrafilme à Ancine
Coleção: Indústria Cinematográfica e Audiovisual Brasileira (Volume I)
Autora: Melina Marson
Editora: Escrituras
Páginas: 240
Preço: R$ 25,00

foto-livros-na-vitrine-livraria-frei-caneca2